Da Base

01:18 | 16/12/2017
Brasil
01/12/2017 às 19:11 - Por Redação

ESPECIAL – Conheça 5 fatores que fizeram do Palmeiras campeão da Copa do Brasil Sub-17

Entenda porque a geração 2000 do Verdão tem encantado desde o infantil

A geração 2000 do Palmeiras tem chamado a atenção há algum tempo. Nesta quinta-feira (30), diante do arquirrival Corinthians, o time comandado por Artur Itiro levantou mais um troféu: o da Copa do Brasil Sub-17. Acompanhando a maioria dessa molecada desde os 14 anos, a equipe do DaBase listou cinco fatores que foram preponderantes para mais essa conquista. Confira:

1. Integração com o futsal
Só no time titular do elenco campeão, quatro atletas, que são destaques, foram puxados do time de futsal do Verdão: o lateral esquerdo Lucas Esteves e os meias Patrick, Thomás e Alan – este último, por sinal, já terá chance no time profissional na última partida do Porco no Brasileirão, neste domingo (03), contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada.

Além de brilhar no Palmeiras, Alan é destaque na seleção brasileira sub-17 (Foto: CBF)

2. Experiência internacional
“A bagagem adquirida em jogos e competições internacionais faz muita diferença, dá mais confiança aos atletas e faz com que eles, por exemplo, não sintam a pressão de um jogo na casa do maior rival, com a presença em massa do torcedor deles”, pontua João Paulo Sampaio, coordenador geral da base palmeirense. Só em 2017, os meninos do Verdão fizeram oito viagens para o exterior. Para 2018, de acordo com o dirigente, as mesmas viagens já estão confirmadas e outras estão sendo negociadas. Vale destacar que esses intercâmbios começam a partir da categoria sub-11.

Em junho de 2017, o sub-11 do Palmeiras conquistou um título no Japão (Foto: Divulgação)

3. Processo de captação
Apesar de a categoria juvenil ter uma base que vem desde o sub-15, o elenco campeão da Copa do Brasil Sub-17 tem atletas recém-incorporados ao grupo. Isso é fruto de um processo de captação que está cada vez mais agressivo em todo o país, seja em peneiras ou competições. Antes da chegada de João Paulo Sampaio, em março de 2015, o Porco tinha apenas dois observadores técnicos trabalhando na busca por talentos. Hoje, são cinco profissionais que indicam e/ou levam atletas para avaliações e consequentes contratações por parte do clube.

João Paulo Sampaio (centro) e sua equipe de captação de atletas (Foto: Divulgação)

4. Integração da base com o profissional e mando de campo fixo
Também fruto da nova gestão da base alviverde, as categorias sub-15, sub-17 e sub-20 treinam, diariamente, no mesmo centro de treinamento do profissional. Com isso, os jovens talentos usufruem, além dos campos, de toda a estrutura de departamento médico, academia e fisioterapia. Outro quesito que também tem feito a diferença para os meninos da base do Verdão é o miniestádio construído em Guarulhos-SP. Antes dessa nova estrutura, as categorias jogavam em campos distintos, não dando a eles o peso ideal de mando de campo, de ter “casa própria”.

Novo CT do Palmeiras, em Guarulhos-SP, é um diferencial da base do Porco (Foto: Divulgação)

5. Comissão técnica x atletas
A categoria sub-17 é comandada por Artur Itiro, treinador que está no Verdão desde 2013. Antes de assumir o juvenil, Itiro foi treinador da categoria sub-15 por três anos. Por isso, ele conhece como poucos esses meninos que hoje brilham no juvenil. Junto a ele, na função de auxiliar técnico, está Hamilton Mendes, treinador da categoria sub-16. Essa integração garantiu à comissão técnica toda a segurança na promoção de atletas mais novos para a categoria que se consagrou campeã da Copa do Brasil Sub-17.

Artur Itiro é o treinador da categoria sub-17 (Foto: Divulgação)

Comente


NOTÍCIAS RELACIONADAS

Da Base